1e6dda5e8653272847b2bf82f2784af7Pegou de surpresa na noite desta segunda, 29, o anuncio da separação do casal modelo da rede globo. Em seu twitter, Fátima Bernardes comunicou seus fãs sobre a ultima notícia, sua separação do Jornalista William Bonner.

O casal já vinha passando por uma crise em seu casamento que chegou a deixar Fátima doente, a ponto de se afastar de seu programa, sendo substituída as pressas por Ana Furtado e Lair Rennó. Apesar de tentarem manter sigilo, pessoas próximas já haviam confirmado que a separação estava próxima. Hoje, Fátima Bernardes deu seu parecer acabando com todos os rumores: Sim!! O casamento acabou! Para choque de todos os fãs que sempre torceram pela felicidade do casal! William Bonner também acabou de publicar o fim de seu casamento em sua conta do twitter!

Um alerta aos cristãos sobre como evitar o desgaste no casamento

Armadilhas que devem ser evitadas

4. Quais são alguns fatores que podem desgastar o casamento?

4 A Palavra de Deus ajuda-nos a compreender os fatores que podem desgastar o casamento. Vejamos, por exemplo, as palavras do apóstolo Paulo a respeito das condições que existiriam nestes últimos dias: “Nos últimos dias haverá tempos críticos, difíceis de manejar. Pois os homens serão amantes de si mesmos, amantes do dinheiro, pretensiosos, soberbos, blasfemadores, desobedientes aos pais, ingratos, desleais, sem afeição natural, não dispostos a acordos, caluniadores, sem autodomínio, ferozes, sem amor à bondade, traidores, teimosos, enfunados de orgulho, mais amantes de prazeres do que amantes de Deus, tendo uma forma de devoção piedosa, mostrando-se, porém, falsos para com o seu poder; e destes afasta-te.” — 2 Timóteo 3:1-⁠5.

5. Por que uma pessoa ‘amante de si mesma’ põe em perigo o seu casamento, e o que a Bíblia aconselha?

5 Quando analisamos as palavras de Paulo, vemos que muitas coisas que ele alistou podem contribuir para o colapso do casamento. Por exemplo, os “amantes de si mesmos” são egoístas e não têm consideração pelos outros. Maridos ou esposas que amam somente a si mesmos estão determinados a conseguir o que querem. Eles são inflexíveis, irredutíveis. Será que essa atitude contribui para um casamento feliz? De modo algum. O apóstolo Paulo sabiamente aconselhou os cristãos, incluindo os casais: “[Não deveis estar] fazendo nada por briga ou por egotismo, mas, com humildade mental, consider[ai] os outros superiores a vós, não visando, em interesse pessoal, apenas os vossos próprios assuntos, mas também, em interesse pessoal, os dos outros.” — Filipenses 2:3, 4.

6. Como pode o amor ao dinheiro desgastar o casamento?

6 O amor ao dinheiro pode dividir o casal. Paulo alertou: “Os que estão resolvidos a ficar ricos caem em tentação e em laço, e em muitos desejos insensatos e nocivos, que lançam os homens na destruição e na ruína. Porque o amor ao dinheiro é raiz de toda sorte de coisas prejudiciais, e alguns, por procurarem alcançar este amor, foram desviados da fé e se traspassaram todo com muitas dores.” (1 Timóteo 6:9, 10) Infelizmente, hoje, em muitos casamentos ocorre o que Paulo havia dito. Na sua busca por riquezas, muitos maridos ou esposas ignoram as necessidades do cônjuge, incluindo as necessidades básicas de apoio emocional e companheirismo constante e afetuoso.

7. Em alguns casos, que tipo de comportamento levou à infidelidade?

7 Paulo também disse que alguns, nestes últimos dias, seriam “desleais, sem afeição natural, não dispostos a acordos”. O voto marital é uma promessa solene que deveria levar a um vínculo permanente, não à infidelidade. (Malaquias 2:14-16) No entanto, alguns deram atenção romântica a outra pessoa. Uma esposa na faixa etária dos 30 anos que foi abandonada pelo marido explicou que, mesmo antes de isso acontecer, ele tratava outras mulheres com muita familiaridade, era muito carinhoso com elas. Ele não percebeu que sua conduta era inapropriada para um homem casado. Ela se sentia profundamente magoada quando via isso acontecer e, com tato, tentou alertá-lo dos perigos que podiam resultar dessa atitude. Mesmo assim, ele cometeu adultério. Embora fosse alertado bondosamente, o transgressor não quis prestar atenção. De modo inconseqüente, caiu na armadilha. — Provérbios 6:27-29.

8. O que pode levar ao adultério?

8 A Bíblia dá alertas bem claros contra o adultério: “Quem comete adultério com uma mulher é falto de coração; quem faz isso arruína a sua própria alma.” (Provérbios 6:32) Geralmente, o adultério não é uma ação impensada, impulsiva. Como o escritor bíblicoTiago destacou, um pecado como o adultério geralmente acontece depois de se conceber um pensamento e nutri-lo. (Tiago 1:14, 15) O transgressor gradualmente vai deixando de ser leal ao cônjuge, a quem prometeu ser fiel por toda a vida. Jesus disse: “Ouvistes que se disse: ‘Não deves cometer adultério.’ Mas eu vos digo que todo aquele que persiste em olhar para uma mulher, a ponto de ter paixão por ela, já cometeu no coração adultério com ela.” — Mateus 5:27, 28.

9. Qual é o conselho sábio encontrado em Provérbios 5:18-20?

9 Portanto, o proceder sábio e leal é o que o livro de Provérbios incentiva: “Mostre-se abençoada a tua fonte de água e alegra-te com a esposa da tua mocidade, gama amável e encantadora cabra-montesa. Inebriem-te os seus próprios seios todo o tempo. Que te extasies constantemente com o seu amor. Portanto, meu filho, por que te devias extasiar com uma mulher estranha ou abraçar o seio duma mulher estrangeira?” — Provérbios 5:18-20.

Não se apresse a casar

10. Por que é sábio tomar tempo para conhecer o prospectivo cônjuge?

10 Podem surgir problemas no casamento quando duas pessoas se casam apressadamente. Pode ser que sejam muito jovens e inexperientes. Ou talvez não tomem o tempo necessário para conhecer um ao outro — o que gostam e o que não gostam, os alvos e a formação familiar. É sábio ser paciente e tomar tempo para conhecer o prospectivo cônjuge. Lembre-se de Jacó, o filho de Isaque. Ele teve de trabalhar por sete anos para seu futuro sogro antes de poder casar-se com Raquel. Ele se dispôs a fazer isso porque seus sentimentos se baseavam em amor verdadeiro, não apenas em atração física. — Gênesis 29:20-30.

11. (a) Que coisas se unem no casamento? (b) Por que falar de modo sábio é vital no casamento?

11 Casar-se não é simplesmente ter um relacionamento romântico. O laço marital une duas pessoas que foram criadas de modo diferente uma da outra, com personalidade e constituição emocional distintas e, em geral, formação educacional também diferente. Às vezes, é a união de duas culturas ou até mesmo de dois idiomas. No mínimo, une duas vozes, capazes de expressar opiniões diferentes sobre todos os assuntos. Essas duas vozes são um componente muito importante do casamento. Podem ser constantemente críticas e queixosas, ou podem ser afetuosamente encorajadoras e edificantes. Sim, com as nossas palavras podemos ferir ou curar o cônjuge. Falar de modo impensado pode causar tensão no casamento. — Provérbios 12:18; 15:1, 2; 16:24; 21:9; 31:26.

12, 13. Que conceito realista sobre o casamento somos incentivados a ter?

12 Portanto, é sábio tomar tempo para conhecer bem um prospectivo cônjuge. Uma cristã casada há muito tempo disse: “Quando você encontrar um provável cônjuge, penseem talvez uns dez requisitos básicos que você gostaria de ver nessa pessoa. Se conseguir encontrar só sete, pergunte-se: ‘Será que estou disposto(a) a desconsiderar os três que estão faltando? Será que no dia-a-dia eu poderia suportar a falta dessas qualidades?’ Se você tiver dúvidas, pare e reflita sobre o assunto.” É claro que você precisa ser realista. Se quer se casar, saiba que nunca vai encontrar o par perfeito. Ao mesmo tempo, a pessoa com quem vier a se casar tampouco terá encontrado o cônjuge perfeito! — Lucas 6:41.

13 O casamento inclui sacrifícios. Paulo destacou esse ponto quando disse: “Quero que estejais livres de ansiedade. O homem não casado está ansioso das coisas do Senhor, de como pode ganhar a aprovação do Senhor. Mas o homem casado está ansioso das coisas do mundo, de como pode ganhar a aprovação de sua esposa, e ele está dividido. Além disso, a mulher não casada, e a virgem, está ansiosa das coisas do Senhor, para que seja santa tanto no seu corpo como no seu espírito. No entanto, a mulher casada está ansiosa das coisas do mundo, de como pode ganhar a aprovação de seu marido.” — 1 Coríntios 7:32-34.

Por que alguns casamentos fracassam

14, 15. O que pode contribuir para o enfraquecimento do vínculo marital?

14 Uma cristã passou recentemente pelo trauma do divórcio — o marido a abandonou depois de 12 anos de casados e começou um relacionamento com outra mulher. Será que ela havia percebido alguma coisa antes da separação? Ela explica: “Ele chegou ao ponto de não orar mais. Dava desculpas banais para não ir às reuniões cristãs e ao serviço de pregação. Ele alegava estar muito ocupado ou muito cansado para passar tempo comigo. Não falava comigo. Estava espiritualmente alienado. Era triste ver que ele não era mais o homem com quem eu tinha me casado.”

15 Outros relatam que perceberam indícios semelhantes, incluindo a negligência no estudo pessoal da Bíblia, nas orações e na assistência às reuniões cristãs. Em outras palavras, muitas pessoas que por fim abandonaram o cônjuge permitiram que seu relacionamento com Jeová enfraquecesse. Por causa disso, sua visão espiritual ficou embaçada. Para eles, Jeová não era mais um Deus vivente. O prometido novo mundo de justiça deixou de ser uma realidade. Em alguns casos, esse enfraquecimento espiritual já existia antes de o cônjuge infiel iniciar um relacionamento extraconjugal. — Hebreus 10:38, 39; 11:6; 2 Pedro 3:13, 14.

16. O que fortalece o casamento?

16 Por outro lado, um casal muito feliz atribui o sucesso de seu casamento a vínculos espirituais fortes. Eles oram juntos e estudam juntos. O marido diz: “Lemos a Bíblia juntos. Vamos ao serviço de pregação juntos. Gostamos de fazer coisas juntos.” A lição é clara: manter uma boa relação com Jeová contribuirá muitíssimo para um casamento sólido.

Seja realista e comunique-se

17. (a) Que duas coisas contribuem para o sucesso no casamento? (b) Como Paulo descreve o amor cristão?

17 Duas outras coisas contribuem para o sucesso no casamento: o amor cristão e a comunicação. A tendência de duas pessoas apaixonadas é ignorar as falhas uma da outra. Pode ser que o casal inicie o casamento com expectativas exageradas, talvez baseadas no que leram em romances ou no que viram em filmes. Mas, com o tempo, terão de enfrentar a realidade. Então, deslizes pequenos ou hábitos insignificantes, mas que irritam, podem se tornar grandes problemas. Se isso acontecer, os cristãos precisam demonstrar os frutos do espírito, e o amor é um deles. (Gálatas 5:22, 23) Sem dúvida, o amor é muito poderoso — não o amor romântico, mas o amor cristão. Paulo descreveu esse amor assim: “O amor é longânime e benigno.  . . . não procura os seus próprios interesses, não fica encolerizado. Não leva em conta o dano.  . . . Suporta todas as coisas, acredita todas as coisas, espera todas as coisas, persevera em todas as coisas.” (1 Coríntios 13:4-⁠7) É evidente que o amor genuíno faz concessões às fraquezas humanas. De modo realístico, não espera perfeição. — Provérbios 10:12.

18. Como a comunicação pode fortalecer um relacionamento?

18 A comunicação também é vital. Independentemente de quantos anos já se tenham passado, os cônjuges devem conversar e realmente escutar um ao outro. Certo marido diz: “Nós expressamos abertamente nossos sentimentos, mas de uma maneira amistosa.” Com a prática, o marido e a esposa aprendem a escutar não apenas o que é dito mas também o que não é dito. Em outras palavras, com o passar dos anos, um casal feliz aprende a discernir pensamentos e sentimentos sem que estes tenham de ser expressos. Algumas esposas dizem que o marido não as escuta de verdade. Alguns maridos reclamam que a esposa parece querer conversar nas horas mais inconvenientes. A comunicação implica ser compassivo e compreender o outro. A comunicação produtiva traz benefícios tanto para o marido como para a esposa. — Tiago 1:19.

19. (a) Por que pode ser difícil pedir desculpas? (b) O que pode nos motivar a pedir desculpas?

19 A comunicação às vezes inclui pedir desculpas, o que nem sempre é fácil. É preciso humildade para admitir os próprios erros. Mas que diferença isso faz no casamento! Um pedido sincero de desculpas pode eliminar uma possível causa de conflito e abrir caminho para o perdão genuíno e a solução do problema. Paulo declarou: “Continuai a suportar-vos uns aos outros e a perdoar-vos uns aos outros liberalmente, se alguém tiver razão para queixa contra outro. Assim como Jeová vos perdoou liberalmente, vós também o fazei. Além de todas estas coisas, porém, revesti-vos de amor, pois é o perfeito vínculo de união.” — Colossenses 3:13, 14.

20. Como o cristão deve tratar seu cônjuge em particular e na presença de outros?

20 O apoio mútuo também é vital no casamento. O marido e a esposa cristãos devem confiar um no outro e contar um com o outro. Nenhum dos dois deve prejudicar o outro ou, de alguma outra forma, diminuir a autoconfiança de seu cônjuge. Elogiamos nosso cônjuge de modo terno; não o criticamos rudemente. (Provérbios 31:28b) Nós certamente não o rebaixamos por fazer dele objeto de piadas tolas e sem consideração. (Colossenses 4:6) Esse apoio mútuo é fortalecido por expressões de afeto constantes. Um toque, ou falar baixinho palavras carinhosas, pode expressar: “Eu ainda te amo. Estou contente por você estar comigo.” Esses são alguns fatores que podem influenciar um relacionamento e ajudar o casamento a ser bem-sucedido no mundo atual. Há outros fatores, e o próximo artigo nos dará orientações bíblicas adicionais para ter sucesso no casamento.*

Compartilhar

Comentários

comentários