ex-pastor-e-preso-por-estuprar-a-propria-filha_805941Está preso o ex-pastor que sabia de sua infecção e continuou estuprando a própria filha desde os 7 anos de idade. Hoje, aos 16, a garota tenta superar o trauma. A Polícia Civil prendeu o criminoso nesta quarta-feira (27), que é suspeito de abusar sexualmente da filha por 9 anos, tendo transmitido o HIV para a menina e também para sua esposa, mas os policiais estão achando que a doença foi transmitida também para outras mulheres, o que ainda será investigado. Mas esta, infelizmente, é quase uma certeza porque o homem não usava preservativo quando mantinha as relações sexuais.

A filha do ex-pastor, hoje com 16 anos, era estuprada dentro de sua própria casa constantemente, começando quando ela completou 7 anos e seguindo até os 10 anos de idade. Depois os atos cessaram por um tempo, mas os estupros retornaram quando ela completou 14 anos de idade. Wisllei Salomão, o delegado chefe de Proteção à Criança e ao Adolescente, informou que, para praticar os estupros, o homem ficava aguardando a esposa sair de casa e também pedia ao filho para sair da residência, para que ele não ficasse sabendo de nada.

O delegado, após ouvir os relatos da vítima, ficou impressionado e revelou que a garota contou tudo que sofreu com detalhes, traumatizada por ter vivido momentos horríveis nas mãos de quem deveria lhe dar segurança.

O caso foi descoberto porque no último mês de maio, a jovem revelou tudo o que estava sofrendo para uma amiga e esta lhe aconselhou a procurar ajuda imediatamente e fazer a denúncia à polícia e foi isso que ela fez. A garota já passou por um teste, acompanhada pela mãe, para confirmar se realmente está infectada pelo HIV.

A mãe da menina chegou a confrontar o marido e ele confessou tudo, contando que mantinha relações sexuais com a filha e chegou a relacionar-se também com diversas mulheres sem o uso de preservativo.

Mãe e filha estão tomando diversos medicamentos contra o HIV e juntas tentam recomeçar uma nova vida com o apoio de uma psicóloga. O ex-pastor poderá pegar de 8 a 12 anos de prisão

Compartilhar

Comentários

comentários